6 de jan de 2009

Por uma auditoria com valor

A Revista Meio Ambiente Industrial (nov/dez 2007) publicou este meu artigo sobre a importância da auditoria conferir valor para a empresa auditada, que retransmito a seguir.

O número de organismos de certificação de Sistemas de Gestão credenciados pelo INMETRO aumentou cerca de 25 % no último ano. A minha primeira impressão é de ânimo, pois este crescimento indica que as empresas, cada vez mais, buscam atestar a conformidade de seus modelos de gestão em relação a requisitos normativos e o fazem através de empresas certificadoras para dar independência a esta atestação. Mas a segunda impressão é de receio: a auditoria pode perder a credibilidade e deixar de ser importante para as organizações.

A relação de certificadoras acreditadas (credenciadas) pelo INMETRO para atuar no Brasil possui excelentes empresas, onde trabalham profissionais reconhecidos internacionalmente e que são requisitados para realizar auditorias em vários países.

Hoje, estes organismos certificadores encontram um mercado de potenciais clientes dividido em dois grupos com necessidades diferentes e claras: as empresas que querem um modelo de Sistema de Gestão que agregue valor ao negócio e outras empresas que mantêm um Sistema de Gestão, em muitos casos aos trancos e barrancos, por exigência do cliente ou como estratégia de marketing.

Minha apreensão é que os organismos de certificação, pressionados pela necessidade de ganhar serviços de auditoria, façam concessões à qualidade destes serviços para reduzir os valores cobrados pela auditoria. Já se percebem alguns sinais desta estratégia suicida, que além de desfigurar a excelente ferramenta que é o processo de auditoria para agregar valor à organização, depredará com a credibilidade da auditoria. Um exemplo: algumas auditorias de certificação se tornaram apenas um burocrático check de conformidade e atendimento aos procedimentos documentados. Outro exemplo: auditores exercendo suas funções sem a competência desejada para entender o processo e avaliá-lo ou confundindo o auditado com interpretações equivocadas.

Para saber se as auditorias de terceira parte (realizadas pelos organismos certificadores), e também as de segunda (avaliação de fornecedores) e primeira (auditorias internas, que podem ser terceirizadas) estão conferindo valor para o negócio da empresa, deve-se identificar se elas estão abastecendo a diretoria de informações relevantes sobre a capacidade da empresa em atingir seus objetivos estratégicos. Também, deve ser avaliado se são identificadas oportunidades de melhoria e potenciais áreas de riscos e se os problemas identificados aumentarão o desempenho da organização quando resolvidos ou se são simplesmente não-conformidades desimportantes e desnecessárias. Em resumo: a auditoria confere valor para a empresa auditada quando ela é ÚTIL.

No caso da certificação de sistemas de gestão ambiental, a certificação ISO 14001 garante que a organização funciona de maneira consistente, atenta com o meio ambiente e que seus empregados e contratados sabem como controlar os aspectos para evitar impactos ambientais. Auditar a Norma ISO 14001 exige competência do auditor para compreender como a empresa construiu seu Sistema de Gestão Ambiental no contexto da ISO 14001, bem como o entendimento do segmento que a empresa atua e seus impactos ambientais potenciais. Para que esta auditoria tenha utilidade para a organização auditada, o auditor deverá identificar o estágio em que a empresa se encontra em relação ao seu desempenho e conscientização ambiental, entender as suas expectativas ambientais, analisar os riscos reais e potenciais do setor que a organização atua e alocar o tempo adequado para a realização da auditoria.

Minha expectativa é a de que o INMETRO, os organismos certificadores e as empresas auditadas busquem o caminho da abordagem correta de auditoria para que a certificação não perca a sua credibilidade e utilidade para a empresa auditada, para a empresa certificadora e para o país. Assim, tenho certeza que a minha primeira impressão é a que ficará e o número de organismos de certificação continuará crescendo de forma consistente por muitos anos ainda.


Luiz Carlos De Martini Junior




Um comentário:

Cristina Amado disse...

É isto aí , De Martini

Concordo em genero, número e grau. É preciso preservar a credibilidade das auditorias.
Valeu!
Cristina Amado